A evolução da Disney através das 8 fases de sua história

9 outubro , 2016

Resultado de imagem para desenho disney

1. A era de ouro

Filmes: “Branca de Neve e os Sete Anões”, “Pinóquio”, “Fantasia”, “Dumbo” e “Bambi”

Os 5 primeiros desenhos da Disney formam o que é chamada de era de ouro do estúdio e estão entre os favoritos da galera há quase 8 décadas. “Branca de Neve”, o primeiro longa-metragem de animação da história, gerou muitas especulações de fracasso enquanto era produzido. Felizmente, ele caiu nas graças do público e dos críticos.

"Branca de Neve e os Sete Anões" é a primeira animação em longa-metragem do cinema e foi lançada em 1937

2. Os tempos de guerra

Filmes: “Alô Amigos”, “Você Já Foi à Bahia?, “Música, Maestro”, “Como é Bom Se Divertir”, “Tempo de Melodia” e “As Aventuras de Ichabos e Sr. Sapo”

A Segunda Guerra Mundial trouxe alterações em toda a sociedade. A Disney cortou o investimento de grandes longas-metragens, preferindo se concentrar em filmes menores, com uma equipe de animadores reduzida. Algumas produções ficaram em segundo plano, dando espaço para filmes contados com esquetes ou compilados de curtas-metragens.

Donald passeia pela América Latina, onde conhece o Zé Carioca, no Brasil, e o Panchito, no México, em "Você Já Foi à Bahia?", de 1944

3. A era de prata

Filmes: “Cinderela”, “Alice no País das Maravilhas”, “Peter Pan”, “A Dama e o Vagabundo”, “A Bela Adormecida”, “101 Dálmatas”, “A Espada Era Lei” e “Mogli – O Menino Lobo”

Com duração de quase 2 décadas, a era de prata da Disney traz filmes que tinham ficado arquivados durante a Segunda Guerra Mundial, como “Peter Pan” e “Alice”. Já “Cinderela” se tornou um dos maiores sucessos do estúdio em todos os tempos. Alguns dos filmes mais amados por todo mundo são dessa época.

"101 Dálmatas", de 1961, trouxe uma das maiores vilãs de todos os tempos da Disney: Cruela Cruel, a malvada que queria um casaco feito com a pele dos cachorrinhos

4. A era de bronze

Filmes: “Aristogatas”, Robin Hood”, “As Aventuras do Ursinho Pooh”, “Bernardo e Bianca”, “O Cão e a Raposa”, “O Caldeirão Mágico”, “As Peripécias do Ratinho Detetive” e “Oliver e Sua Turma”

Quando Walt Disney morreu, em 1966, seu estúdio começou a se afastar dos contos de fadas tradicionais que fizeram sua história para apostar em filmes originais. Entretanto, eles formam uma das eras mais obscuras da Disney, com pouca receptividade por parte do público.

Em 1981, "O Cão e a Raposa" estreou nos cinemas de todo o mundo e contou sobre a amizade de Dodó e Toby

5. O renascimento

Filmes: “A Pequena Sereia”, “Bernardo e Bianca na Terra dos Cangurus”, “A Bela e a Fera”, “Aladdin”, “O Rei Leão”, “Pocahontas”, “O Corcunda de Notre Dame”, “Hércules”, “Mulan” e “Tarzan”

O período anterior quase afundou o estúdio, entre 1970 e 1988. Por isso, quando “A Pequena Sereia” chegou aos cinema em 1989 resgatando os conto de fadas e dando uma nova princesa para ser admirada, a Disney voltou a entrar nos trilhos. Muitos filmes de sucesso o seguiram, durante toda a década de 1990.

"A Bela e a Fera", de 1991, foi a primeira animação a concorrer ao Oscar de Melhor Filme

6. O pós-renascimento

Filmes: “Fantasia 2000”, “Dinossauro”, “A Nova Onda do Imperador”, “Atlantis: O Reino Perdido”, “Lilo & Stitch”, “Planeta do Tesouro”, “Irmão Urso”, “Nem Que a Vaca Tussa”, “O Galinho Chicken Little”, “A Família do Futuro” e “Bolt – Supercão”

Depois que o estúdio conseguir se reerguer, foi a hora de se lançar em experiências com o universo digital. Novamente a Disneu se afastou dos contos de fadas e de novo errou a mão na maioria. Desse período, apenas “Lilo & Stitch” se permanece como uma unanimidade, ainda que “Chicken Little” e “A Nova Onda do Imperador” sejam bastante injustiçados e merecessem um maior reconhecimento.

"A Nova Onda do Imperador", de 2000, se passa no império inca e merecia maior reconhecimento

7. A era da renovação

Filmes: “A Princesa e o Sapo”, “Enrolados”, “O Ursinho Pooh”, “Detona Ralph”, “Frozen: Uma Aventura Congelante”, “Operação Big Hero” e “Zootopia”

Depois que a Pixar, o principal estúdio digital do planeta, se tornou parte do império Disney, a relação deixou de ser de concorrência, “liberando” o estúdio a pensar em novos filmes com ares do passado. Com isso, muitos sucessos nasceram nesse período. Até quando essa época vai durar? Não sabemos, apesar disso, ela anda em sintonia com outra época…

Depois de acumular mais de US$ 1,2 bilhão nas bilheterias em todo mundo, "Frozen: Uma Aventura Congelante", de 2013, se tornou a animação com maior arrecadação nos cinemas

8. A era dos filmes de carne e osso

Filmes: “Alice no País das Maravilhas”, “Malévola”, “Cinderela”, “Mogli: O Menino Lobo”, “Alice Através do Espelho” e “A Bela e a Fera”

Ainda que nos anos 1990 o estúdio tenha tentado levar seus clássicos para o universo de carne e osso, com “101 Dálmatas”, foi só a partir de 2010 que isso ganhou força com a refilmagem de “Alice no País das Maravilhas”. Até quando esse movimento irá durar fica difícil de prever, mas já se prepare para o lançamento de “A Bela e a Fera”, em 2017, e para os anunciados “O Rei Leão” e “Mulan”.

"Mogli: O Menino Lobo", de 2016, conseguiu adaptar o desenho de 1967 e ir ainda mais além na história: não é à toa que agradou tanto a crítica especializada quanto o público

 

FONTE(S) HOLLYWOOD/ANA LUISA SUAREZ

IMAGEN(S) DISNEY

tags: desenhos,Disney,evolução



Porco de Gravata © 2016 - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: Liane Bez